Ensino a Distância

EaD de Sustentabilidade - Sustentabilidade no setor financeiro: atuação, impactos e oportunidades

Compartilhe o conteúdo desta página:

Objetivo

A agenda socioambiental está presente no setor financeiro há mais de duas décadas, iniciando como responsabilidade corporativa e, posteriormente, migrando para uma agenda de riscos e finalmente de oportunidades.
Como agenda de negócios, a responsabilidade socioambiental começa a modificar as práticas setoriais e a ser integrada de forma estratégica ao core business do setor financeiro.
Neste contexto, a FEBRABAN e o INFI criaram módulos específicos de ensino à distância onde serão abordados os principais desafios da atualidade desta temática, abordando questões sociais, ambientais e climáticas, os seus impactos sobre a economia, riscos e oportunidades de negócios que se apresentam para o setor financeiro, com o foco especial na ação dos bancos.

Nesse primeiro momento disponibilizamos 04 módulos que apresentarão os desafios socioambientais em âmbito global, a participação do Brasil no debate socioambiental, o papel do setor financeiro na contribuição para o desenvolvimento sustentável, a evolução de iniciativas voluntárias e regulatórias e muito mais. Veja abaixo a programação completa.
Em breve serão lançados outros módulos complementares às dimensões de oportunidades e riscos dessa relevante agenda.

Programa

1

Por que falar de sustentabilidade?

O olhar para a sustentabilidade deixa a agenda institucional para fazer parte da estratégia de negócios e do processo de decisão financeira. Ele é um driver importante da mitigação de riscos (como riscos de crédito, riscos legais e reputacionais, entre outros), um forte gerador de oportunidades de negócio (como o acesso a novos mercados, fidelização de clientes e aumento da produtividade), além de orientar o desenvolvimento de novas regulações do cenário corporativo e financeiro.

• Desafios socioambientais em âmbito global (escassez de recursos, mudanças climáticas, aumento da densidade populacional, etc.);
• Impactos potenciais sobre o nosso dia a dia (riscos: dificuldades para produção, desastres, etc.; e oportunidades: surgimento de novas tecnologias, inovação, etc.);
• Posicionamento do debate internacional: do conceito de desenvolvimento sustentável aos ODS.

2

Contexto Brasileiro

A participação do Brasil no debate socioambiental.
O Brasil vive um momento único tanto em seu cenário econômico como no debate socioambiental. A situação do cenário econômico nacional e internacional, combinado com as perspectivas políticas, sociais, climáticas e ambientais para o país, fazem com que o setor corporativo e financeiro busque novas oportunidades de financiamento e investimento. Setores como o de infraestrutura, energia, agronegócio e indústria apresentam importantes gaps para o aumento da produtividade e a inovação no mercado brasileiro.
Neste cenário, projetos que apresentarem um olhar diferenciado para a mitigação de riscos ou a geração de negócios que considerem aspectos socioambientais podem se beneficiar tanto em termos financeiros como reputacionais. Com o aumento das exigências internacionais, tanto de consumidores como investidores, incorporar aspectos ambientais, sociais e de governança corporativa nos produtos, processos e projetos das organizações pode ser uma forma de acessar novos mercados e novos fluxos de capital internacional.

3

O papel do setor financeiro na agenda socioambiental

• O papel do setor financeiro na contribuição para o desenvolvimento sustentável;
• O papel do setor financeiro na geração de valor compartilhado;
• Os impactos socioambientais diretos e indiretos das instituições financeiras;
• Como as instituições financeiras analisam os riscos socioambientais nas áreas de crédito, investimentos e seguros;
• A governança dos temas socioambientais dentro das instituições;
• Como transformar riscos em oportunidades.

4

Responsabilidades: acordos e regulações socioambientais do setor financeiro

• Evolução de iniciativas voluntárias e regulatórias;
• Ao longo dos últimos anos, a organização dos temas socioambientais em várias esferas, de acordos voluntários ao arcabouço legislativo e regulatório;
• As iniciativas ligadas a questões socioambientais no setor financeiro vêm evoluindo ao longo dos anos, em âmbito voluntário e/ou regulatório;
• Um marco importante no país nesse processo, foi o lançamento da Resolução 4.327/2014 do Banco Central, que solicita, das instituições sob sua supervisão, a elaboração de uma Política de Responsabilidade Socioambiental - PRSA -, além de um plano de ação para implementação desta política de forma transversal e integrada à gestão de riscos das organizações. Em 15 de setembro de 2021, o Banco Central divulgou a Resolução 4.945 que revogará a Resolução 4.327 em dezembro de 2022.

Metodologia

Não há.

Público Alvo

O curso está voltando para profissionais das áreas de Riscos, Produtos, Comercial, Jurídico, Compliance, e/ou outras áreas estratégicas.

POR DETERMINAÇÃO DA LEI 12.741/2012, INFORMAMOS O PERCENTUAL APROXIMADO DOS TRIBUTOS INCIDENTES: 12,6% SENDO:
ISS .............. MUNICIPAL......5%
COFINS ......... FEDERAL......7,6%

Informações para contato

Av. Brigadeiro Faria Lima, 4300 - 4º andar - Itaim Bibi - São Paulo, SP

Infi · Instituto FEBRABAN de Educação · Copyright © 2013 · Política de Privacidade | Todos os direitos reservados

formas de pagamento

Formas de pagamento aceitas pelo Infi
SSL